terça-feira, 29 de abril de 2008

Curso de culinária indiana - Núcleo Jaya (SP)

O curso de culinária indiana (lacto-vegetariana) é ministrado pelo indiano Mukesh Kumar Sonee e oferece uma introdução à Culinária Indiana, sendo abordados aspectos essenciais à cultura da alimentação vegetariana indiana, sendo ensinados, na prática, variados pratos típicos, tais como:

- Samosa (pastel indiano)
- Paratha e Roti (pães indianos)
- Chai (chá indiano)
- Paneer (queijo indiano em cremes)
- Raita (sopa de iogurte)
- Aloo Gobhi
- Entre outros

Curso apostilado + brinde com kit de especiarias



DIA 24 de MAIO (sábado, das 9h às 17h)
VALOR: R$120,00




INFORMAÇÕES:
Núcleo Jaya de Shivam Yoga
4221-8109
http://www.nucleojaya.com.br/

VAGAS LIMITADAS!


sábado, 26 de abril de 2008

Meat is Murder - Smiths & Morrissey

Em 2000 quando assisti o show do Morrissey fiquei impressionado com a atmosfera criada na música "Meat is Murder" (composta nos tempos dos smiths, nos anos 80). A música é "tema" de muitos vegetarianos e voltou a ser difundida com nas turnês do Morrissey nessa década.

"Não aceito matar uma criatura e consumir esse gosto de morte."
Essa é a mensagem que a música me passa.

Mais vale um vídeo do que um milhão de palavras:


[youtube http://www.youtube.com/watch?v=mzNSAU2qM64&hl=en]




Meat Is Murder de The Smiths

Heifer whines could be human cries
Closer comes the screaming knife
This beautiful creature must die
This beautiful creature must die
A death for no reason
And death for no reason is MURDER
And the flesh you so fancifully fry
Is not succulent, tasty or kind
It's death for no reason
And death for no reason is MURDER
And the calf that you carve with a smile
Is MURDER
And the turkey you festively slice
Is MURDER
Do you know how animals die ?
Kitchen aromas aren't very homely
It's not "comforting", cheery or kind
It's sizzling blood and the unholy stench
Of MURDER
It's not "natural", "normal" or kind
The flesh you so fancifully fry
The meat in your mouth
As you savour the flavour
Of MURDER
NO, NO, NO, IT'S MURDER
NO, NO, NO, IT'S MURDER
Oh ... and who hears when animals cry ?



... ou, se preferir... veja com os Smiths:


[youtube http://www.youtube.com/watch?v=2pB18RcAW8c&hl=en]


Uma tradução:



Carne é assassinato

O lamento do bezerro poderia ser choro humano
Aproxima-se a faca gritante cada vez mais
Esta linda criatura deve morrer
Esta linda criatura deve morrer

Uma morte sem razão
E morte sem razão é assassinato
E a carne que você distraidamente frita
Não é suculenta, saborosa ou bondosa

É morte sem razão
E morte sem razão é assassinato
E o vitelo que você destrincha com um sorriso é assassinato.
E o peru que você fatia festivamente é assassinato.

Você sabe como os animais morrem?

Os aromas da cozinha não são familiares
Não são "acolhedores", "confortáveis" ou generosos
E o sangue sendo frito e o profano odor
É de assassinato.

Não é "natural", "normal" ou generoso
A carne que você animadamente frita
A carne em sua boca
É assassinato.

Não, não é outra coisa, é assassinato

Quem ouve quando os animais choram?



Nos posts do YouTube há sempre discussões fervorosas sobre o vegetarianismo, ciências (?) e também um pouco sobre Morrissey...

segunda-feira, 21 de abril de 2008

O cigarro, o custo ao sistema de saúde e a cerveja

Por incrível que pareça, foi feito um estudo sobre os custos de fumantes e não fumantes no sistema de saúde britânico e constatou-se que, ao contrário que se imagina, os fumantes custam MENOS para o sistema. PORÉM, a razão é simples. Os fumantes MORREM MAIS CEDO!

Agora, por outro lado... com esse estudo na mão será que o governo continuaria a investir tanto em campanhas anti-tabaco?
Por aqui temos a propaganda de cigarros proibida, mas não está totalmente fora da mídia... a Fórmula 1 ainda é muito bem patrocinada pelas grandes marcas de cigarro, e sem falar na chova de filmes e novelas com protagonistas fumantes...

Outro ramo que está na mira dessa proibição é a indústria da cerveja. Concordo com a proibição e deveria ter entrado em vigor a muitos anos atrás. As propagandas além de ser totalmente apelativas, promovem um produto que mata. Porém, a ABAP (Associação Brasileira de Agência de Publicidades), conhece os fatos, mas não quer enxergar, muito provavelmente cega com o tamanho das gordas contas das cervejarias ... e continua insistindo que barrar tal proibição, inclusive vinculando inserções na TV defendendo seu posicionamento.

Sei que não é o tópico do blog, mas vale comentar... já que a maioria dos leitores daqui também tem preocupações com a saúde.

domingo, 20 de abril de 2008

Fumaça na Argentina, aumento no preço dos alimentos, aquecimento global…

Nessa semana tivemos na Argentina uma situação que cada ano se agrava. A invasão de uma fumaça cobriu a capital Buenos Aires, causando estragos na cidade, na saúde dos moradores e até prejuizos no turismo.

A fumaça é proviniente das queimadas realizadas nas regiões marginais do delta do rio Paraná, que é prática para a preparação da área para o pasto. Novas áreas continuam sendo queimadas devido a expansão da pecuária.

Como toda empresa visa o lucro com previsão de retorno no máximo de 10 anos, não há a visibilidade dos impactos mundiais na tomada de certas decisões.

Quanto mais gado, maior é o consumo de água e cereais para a manutenção do rebanho e maior produção de CO2 na atmosfera (sim, o gado produz CO2!). Logo, menos alimentos e água para nós.

O Brasil produz e exporta toneladas de soja, milho, trigo, arroz e grande parte é destinada a alimentação de rebanhos e não para a alimentação humana! A conta não fecha! E, pior, todos pagam a conta.

Já imaginou o quanto de água e cereais são necessário para a produção de 1Kg de carne bovina, sabendo que o estomago de um bovino tem capacidade de até 200 litros?

Se todos fossemos vegetarianos, não teríamos uma população bovina tão imensa, não teríamos tantos pastos, não precisaríamos de imensos campos de colheita para alimentação dos rebanhos, menos queimadas. Teríamos mais hectares de matas nativas, mais alimentos disponíveis, menos problemas cardíacos, mais saúde, menos CO2 na atmosfera e quem sabe não estaríamos numa situação irreversível quanto ao aquecimento global!

sábado, 19 de abril de 2008

Substituindo itens!

Creio que todo vegetariano já se deparou com a situação de ir a um restaurante não-vegetariano, e ao abrir o cardápio só encontrar como opção uma entrada... "salada" geralmente.
Dependendo da fome, da criatividade e da confiança no restaurante é possível combinar com o garçom a substituição de alguns itens, porém em geral os olhares são descrentes e pedem uma explicação. Porque isso sempre ocorre? E para evitar uma bela cusparada no prato por uma resposta atravessada, nos sujeitamos a dar explicações e contar a história de nossa vida...
Só pq não como carne significa que venho de Marte?? :P



A melhor e mais inusitada substituição feita foi em um restaurante mexicano, em que todos os itens com carne foram substituidos por uma pasta de feijão preto temperado (usado na base do chilli beans, mas sem carne, claro!). Tudo ficou ótimo!
(fico devendo, por enquanto, o endereço e contato correto do restaurante!)

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Publicidade em Campinas, POA e em breve Curitiba…

Chegou em meu e-mail essa semana e achei muito interessante divulgar aqui também as imagens dos outdoors que estão sendo vinculados em grandes centros urbanos, e principalmente, o conceito que pode ser replicado em qualquer outra cidade!

Imagens dos outdoors:



Campinas


Porto Alegre



Legal saber que o projeto de Campinas deu muito certo e com as contribuições conseguiu até um saldo positivo.

Já em Sampa deve se pensar em outra forma de divulgação devido a "lei cidade limpa" do Kassab...

GO VEG!!!

sábado, 12 de abril de 2008

Livro errado?

Sou interessado por culinária, receitas e gastronomia em geral... além de praticar e inventar (por hobby), costumo procurar receitas na internet e comprar livros do assunto, voltados, claro, para o vegetarianismo.

Mês passado, encontrei um livro no supermercado denominado "Cozinha Vegetariana", da Abril Coleções (coleção "A Grande Cozinha"), por um preço muito modesto: R$ 12,90. Bem ilustrado e com 178 páginas acreditei ser um bom negócio.





Já em casa, ao folear o livro... procurando receitas e novidades do novo livro me deparo com a foto de um prato decorado com camarões! Nesse momento bateu um estalo na cabeça e pensei ter pego o livro errado... voltei para a capa e o título estava lá "Cozinha Vegetariana". Ué?! Será que trocaram o conteúdo? Não... estava tudo lá... "cozinha vegetariana"... como pode?





Foleando mais o livro encontrei outras receitas com peixes.... abismado, lá pro final do livro encontro a explicação: "Os estilos alimentares da dieta vegetariana". Segue abaixo partes do texto (retirados das páginas 142 e 145):

"O termo genérico 'vegetariana' é frequentemente empregado para definir uma dieta sem carnes e peixes. Na realidade, existem diversos estilos alimentares pertencentes ao grande grupo da chamada 'alimentação natural', que respeita a vida e o meio ambiente..."

Hmmm... diversos estilos alimentares respeitando a vida e o meio ambiente... imagino todos sem carnes, peixes, frutos do mar, etc... aí vem:

"Naturismo
É um estilo alimentar difundido em várias versões, que se inspiram no vegetarianismo, no crudismo ou simplesmente na exclusão da carne, mas não dos peixes (com exceção dos de criatório). O princípio inspirador é o de uma alimentação o mais natural possível, que desfrute plenamente das virtudes dos alimentos, respeitando o meio ambiente e as estações... ao passo que nunca utilizam alimentos de origem animal, dando uma ligeira preferência aos peixes não provenientes de criação."


WOW! Como pode ser dito que o meio ambiente é respeitado, se por outro lado estimula a pesca predatória?
Isso não é, e não faz parte de uma alimentação vegetariana... pode ser um passo antes, mas, se há consumo de animais não pode ser considerada como tal.

Nesse momento quase jogo o livro longe...

Estou exagerando?

Dicas de Alimentação Vegetariana - Dr. George Guimarães, Nutricionista

"O Instituto do Coração (InCor / USP) realizou um estudo que avaliou indicadores de saúde de voluntários da cidade de São Paulo. Os vegetarianos demonstraram ter menor risco de desenvolver doenças do coração. Aqueles que consumiam carne até 3 vezes por semana apresentaram um risco diminuído, mas distante da vantagem observada entre os vegetarianos.

Apenas 22% dos vegetarianos apresentaram níveis elevados de colesterol, enquanto 41% dos que comiam apresentavam o colesterol acima do desejado. Não houve um caso sequer de hipertensão arterial (pressão alta) entre os vegetarianos. Já entre os que comiam carne, 22% deles estudados sofriam de hipertensão.

nesse estudo, o fator determinandte para o risco reduzido de doenças do coração foi a alimentação vegetariana."

Resolvi divulgar o texto acima, pois apesar de parecer óbvio que a dieta vegetariana contribui para a diminuição dos problemas cardíacos, muitas vezes faltam comprovações científicas e principalmente a divulgação destes resultados. Os vegetarianos não consomem gordura animal, geralmente se preocupam mais com a alimentação consumindo alimentos integrais e livres de conservantes / sal / açúcar.

No meu caso, apesar de ter o colesterol sempre em níveis abaixo do limítrofe, tive uma diminuição ainda maior com a adoção da dieta vegetariana, de 169 (jun/2006) para 142 (nov/2007). Também não tomo refrigerantes, procuro não consumir muito açúcar e faço exercícios físicos regularmente.... não há segredos para uma vida saudável! :)

Contato:

Nutriveg
Dr. George Guimarães - Nutricionista (CRN-3 7708)
Rua Pirituba, 111 - cj 02
Vila Mariana
São Paulo - SP
04052-120

Fone: (11) 5585-3475

http://www.nutriveg.com.br/
nutriveg@terra.com.br

quinta-feira, 10 de abril de 2008

Encontro Nacional de Direitos Animais - de 01 a 04 de maio 2008.

Acontecerá em Porangaba - interior de São Paulo, o primeiro encontro nacional de direitos animais com o tema “discutindo o movimento, nutrindo-se nas diferenças e capacitando nossos ativistas”.

A idéia é realizar um encontro com objetivo de aumentar a integração e propor discussões e aprendizados.







A organização é do encontro está sendo realizada pelo VEDDAS e dirigida pelo Dr. George Guimarães, mais informações em:
http://www.veddas.org.br/enda/