domingo, 19 de abril de 2009

Curso de culinária indiana - 16 e 17 de maio

Esse Curso é ministrado pelo indiano Mukesh Kumar Sonee e oferece uma introdução à Culinária Indiana, sendo abordados aspectos essenciais à cultura da alimentação vegetariana indiana, sendo ensinados, na prática, variados pratos típicos, tais como:

- Samosa (pastel indiano)
- Paratha e Roti (pães indianos)
- Chai (chá indiano)
- Paneer (queijo indiano em cremes)
- Raita (sopa de iogurte)
- Aloo Gobhi
- Entre outros

Curso apostilado + brinde com kit de especiarias


DIAS 16 e 17 de MAIO (sábado e domingo das 9h às 17h)
VALOR: R$ 120,00 por dia ou R$ 200,00 os dois dias.

É possível fazer somente um dia de curso ou os dois dias.

VAGAS LIMITADAS!
Ligue e faça sua inscrição: (11) 4221-8109

Mais detalhes aqui.

sábado, 18 de abril de 2009

Morrissey deixa o palco após sentir cheiro de carne

Morrissey, ex-lider dos Smiths, participou do festival "Coachella" em Indio, cidadezinha próxima a Palm Springs, na Califórnia e saiu do palco em sinal de protesto ao sentir cheiro de carne durante o show.

Durante sua apresentação na sexta-feira (17/04/09), no meio do show, Morrissey disse: "I can smell burning flesh" (Estou sentindo cheiro de carne queimando) e insistiu "I can smell burning flesh and I hope to God it's human" (Estou sentindo cheiro de carne queimando e espero que seja humana!)... e saiu do palco no meio de "Some Girls Are Bigger Than Others".

Voltou logo em seguida dizendo: "The smell of burning animals is making me sick. I just couldn't bear it." (O cheiro de animais queimando está me deixando enjoado. Não consigo suportar isso).

Morrissey continuou sua apresentação depois com a música de seu último single "I'm Throwing My Arms Around Paris" e outros clássicos dos Smiths.

Morrissey, vegetariano, membro do PETA e ativista tem banido qualquer produto com carne de suas apresentações, tornando o show uma área "MEAT FREE", ou "LIVRE DE CARNE". Além disso, o cantor garante que toda sua equipe tenha uma dieta vegetariana.





Mais informações em:
Morrissey condemns meat eaters at Coachella Festival
Morrissey makes concert a meat-free zone

sábado, 11 de abril de 2009

Arnaldo Jabor - Um nó difícil de desatar

Encontrei o comentário do Arnaldo Jabor sobre o consumo de carne e o meio ambiente. Interessante notar que cada vez mais o tema ganha espaço na mídia e a atenção de jornalistas, formadores de opinião e com isso convencendo mais pessoas a adotar o vegetarianismo / veganismo como parte de sua vida. Sem dúvida a melhor opção de vida para as pessoas, animais e o planeta! :)

O comentário foi publicado na rádio CBN no dia 12/02.
Clique aqui para o download.

Está disponível também no YouTube:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=7zeU8ti-p7o&hl=pt-br&fs=1]

domingo, 5 de abril de 2009

A verdade crua, assada e cozida

A revista ÉPOCA na edição de 30 de março, publicou a reportagem: "A verdade crua, assada e cozida", que discute os efeitos do consumo de carne vermelha na saúde. A reportagem é motivada pela divulgação de uma pesquisa financiada pelo "Instituto Nacional do Câncer" e publicada no Archives of International Medicine dos Estados Unidos.

Os cientistas concluíram que o consumo elevado de carne vermelha, cerca de 1 bife por dia, aumenta o risco de morte por câncer e doenças cardiovasculares. O sugerido pelo estudo seria 126 gramas por semana. É cerca de 50% menor do que o sugerido pela OMC, porém ainda considero inaceitável! Independente da quantidade o consumo de carnes eleva sim o risco de morte por câncer e doenças cardiovasculares, produz alto impacto ambiental e é especista e anti-ético.

A reportagem cita brevemente o impacto ambiental causado pelo consumo de carne, segundo o estudo do Greenpeace a produção de 1 kilo de carne bovina emite gases causadores do efeito estufa equivalentes a um avião num voo de 100 quilômetros. E trata a produção "orgânica" como a solução para os problemas éticos dos abatedouros, que como disse em matéria anterior, não é possível considerar um tratamento ético se no final o animal é morto e esquartejado.

Há o destaque também para a figura do açougueiro "Tom Mylan", que se diz ex-vegetariano e que hoje dá cursos de cortes de carne (foto abaixo). A foto simplesmente diz tudo, um figura gorda, cheia de sangue, fumando e exibindo a cabeça de um porco como se fosse um troféu. Não há como negar o desrespeito com os animais.





A reportagem como um todo é muito ruim, pois ao meu ver é parcial, defendendo os interesses da indústria da carne e mantendo a ilusão no leitor (carnívoro) que está fazendo a coisa certa.
Leia a íntegra no arquivo abaixo:

Reportagem Revista Época